Histórias e Memórias de Vida

Histórias e Memórias de Vida

Simone Spadafora

No ano de 2018 iniciei, no Instituto Adhara, dentro do eixo “Projeto de Vida”, um trabalho de registro de histórias e memórias de vida. A proposta foi oferecida aos usuários já atendidos pelas terapias integrativas/acupuntura. A ideia inicial foi ir além do tratamento complementar de dores e sobrecargas recorrentemente trazidos à oficina oferecida.

O trabalho com memórias procura resgatar a história da pessoa, suas relações pessoais e ambientais. As lembranças podem oferecer um meio eficiente de se alcançar uma percepção viva do passado, o qual passa a ser não somente conhecido, mas sentido pessoalmente e valorizado pela pessoa que o viveu. É um espaço organizado de forma cronológica e sistêmica, um resgate do desenvolvimento individual.

Até o momento, foram atendidas algumas mães de crianças surdas atendidas pelo Instituto Adhara, mulheres que puderam ser ouvidas para além das responsabilidades das cuidadoras de filhos surdos, que puderam apresentar-se em suas individualidades, e subjetividades. Pessoas inteiras, complexas, contam de onde vieram, com o que se relacionaram durante os anos vividos, os lugares por onde passaram, os sentimentos que experienciaram.

Assim, contando e ouvindo a si mesmas, foram dando sentido ao sujeito presente constituído, ressignificaram vivências e dores, reconheceram enganos com honestidade, perdão, gratidão e resiliência. Fortalecidas na fé e na certeza que o melhor pode sempre vir!

E, no encontro do humano com o divino que habita em cada um de nós, sonhos e projetos de vida são (co) criados.

Através do trabalho, crianças surdas também poderão saber um pouco mais sobre o local de onde vieram, suas origens e ancestralidade.

E, assim, surdos e suas famílias seguem nessa vida que é continuidade, processo, reinvenção, superação de desafios e descobertas de potências e habilidades!

“..Quem sou eu?
Faltam contextos na vida, o que deixei lá atrás ainda se repete.
O que estou fazendo por mim?
Não me arrependo, muita coisa passou, tudo tava bom e foi passando simplesmente.
Entende sua vida “fia”, o você!
Falei com minha mãe, nunca tínhamos conversado assim. Quando pedi fotos senti tocar minha mãe também. Falamos do passado, esclarecemos histórias. Mãe….quem é?
Estou escrevendo minha história, agora não posso falar mais.
Tenho passado a semana refletindo sobre essas lembranças, é positivo, amplia minha relação comigo, com o passado, com as coisas que deixei..”.(mãe,35a)

Leave a Reply